O9 Atitudes  

Que Você Precisa ter Para ser Bom Pai ou Mãe

 

O objetivo de ter filhos é fortalecer os laços de amor do casal e ser feliz com eles. Por isso mesmo no cotidiano, na correria é bom reservar um tempo para dedicar a eles. Neste tempo é importante a qualidade da dedicação, não a quantidade de minutos. Devemos em todas as oportunidades demonstrar aos nossos filhos que os amamos e que somos felizes de tê-los em nossas vidas. Precisamos transmitir que ficamos felizes em dedicar o nosso curto tempo a eles.

 

1. Amar e respeitar o outro (pai ou mãe).

Se são casal, o respeito entre os pais é primordial para que a criança se sinta segura. Mas, se forem separados, o respeito precisa ser ainda mais praticado na vida dos pais e dos filhos. O respeito é determinante para que os filhos tenham boas relações interpessoais , para que eles aprendam sobre limites, sobre solução de problemas, negociação. Ser cordial com o outro, dá a criança a felicidade de continuar tendo os pais como pessoas importantes em sua vida e para crescerem seguros.

Mesmo se as coisas não estiverem bem, devemos falar do outro com apreciação. Mesmo em discussões, precisamos esforçar um pouco para cuidar de todos os aspectos do relacionamento: amizade, comprometimento, comunicação, resolução de conflitos, responsabilidade ou negociação. Se isso não estiver sendo possível, o melhor é procurar ajuda. A relação entre os pais cria o ambiente em que a criança está crescendo e formando sua personalidade. Se você ama e quer o melhor para seu filho mantenha sempre um cenário sem estímulos negativos para eles.

Influencie seu filho para o bem! Desqualificar o outro só desqualifica você, mostra sua revolta e insensatez! Deixe que seu filho monte através de sua própria percepção a imagem de pai ou mãe que ele vai ter. Não prejudique seu filho com questões suas, com problemas seus, que cabem a você resolver, não seu filho. Algum dia ele vai descobrir que as coisas não eram exatamente como o que falou para ele e você cairá em descrédito.

2.  Dialogar com seus filhos.

Dar atenção aos filhos ao que eles dizem e ao que não conseguem expressar com palavras, é importante para conhecer e mostrar amor aos filhos.  Prestar atenção no que eles dizem, em seus problemas, nos seus momentos e histórias, é dar a oportunidade de que eles mesmos se ouçam, observem seus limites, se conheçam e que ao falarem percebam pistas para solução de seus próprios problemas. É dar espaço para seus desabafos e para se sentirem mais cuidados e seguros por terem alguém para ouvir, compreender e orientar.

Ao ouvi-los ficamos a par se suas fantasias, percepções, para podermos orientá-los a ver o mundo de forma mais realista e motivadora e guiá-los em caminhos mais satisfatórios.

3. Disciplinar com amor.

Gosto muito de falar sobre a disciplina com amor, pois, na concepção de muita gente a disciplinar e ter regras em casa é como visualizar um cenário negro, sinônimo de tristeza, raiva, mágoa, agressão. A disciplina e regras sem amor e compreensão realmente é assim, mas se for com amor é sinônimo de mais tempo para dedicar a família, de alegria, de ambiente calmo, acolhedor e sem pressões.

Envolver os filhos em nossas atividades é muito saudável. A troca de carinho e de ajuda faz com que a criança se sinta importante no meio familiar.

Os pais que se mantém presentes na vida de seus filhos os ajudam a crescer saudáveis e com maior probabilidade de ter sucesso e felicidade na vida. Manter distância dos filhos é deixá-los sem orientação o que é prejudicial pois, eles não possuem conhecimento para fazer e decidir todas os problemas e situações de suas vidinhas.

Os pais presentes e que buscam conhecer seus filhos os protegem de se envolver e ter comportamentos inadequados socialmente. Eles devem estar presentes na vida dos filhos, devem saber dosar entre o carinho e os limites, precisam saber dizer sim e não, precisam envolver seus filhos nas soluções de seus problemas, devem se interessar por todas as atividades de seus filhos. Deve mostrar-se amigo, compreensivo, companheiro, precisam se colocar no lugar do filho e sentir como ele em algumas situações para compreendê-lo melhor, ser justo, ensinar e mostrar o certo e o errado, proteger na dose certa, estar ao lado sempre!   

 4. Ser alegres com os filhos, sorrir e ser feliz.

Oferecer um ambiente alegre e descontraído, sem pressões para os filhos, dar alegrias, ser felizes com eles, viabilizando uma infância feliz, é garantir futuras pessoas com saúde mental, psicológica e social.

Trazer surpresas para o seu filho, contar história, fazer piadas, rir com eles, brincar, etc., são coisas que nos satisfazem como pais e que ficam na memória da criança para sempre. Hoje, já tenho filho de dezesseis anos e me lembro com clareza de meu pai cantar comigo, brincar e contar histórias, sei que jamais vou esquecer...

Recebê-los feliz quando chegam da escola, dar beijo de boa noite, ter uma atmosfera alegre e assuntos para conversarem durante as refeições juntos são práticas saudáveis.

 Dar brinquedos, coisas materiais é bom, se a criança merece, mas o que as crianças e adolescentes precisam ganhar dos pais é alegria, boas risadas, tempo, segurança, coisas que o dinheiro não compra.

 5. Bons exemplos para seus filhos.

Como já citei, para os filhos os pais são os modelos, as pessoas que eles admiram. Eles copiam na sua forma de enfrentar a vida, de resolver os problemas, na visão de mundo, da moral e das pessoas, copiam na maneira em que convivem socialmente e consigo mesmos.  É muito importante tentar mostrar o melhor de nós para eles. Muitas vezes conseguimos apenas criticar, reclamar, desvalorizar, assim eles apendem a interagir da mesma forma disfuncional o mundo.

Seja mais alegre, aprenda a ver o lado bom das coisas, a perceber os acertos e sucessos do seu filho, comemore com eles as vitórias e esteja com ele orientando nas derrotas. Seja a pessoas que eles que eles gostariam de ser quando estiverem grandes. Seja amigo, dê limites, fale, não grite, corrija, seja exemplo.

6. Dar prioridade.

Se a criança não é priorizada pelos pais, elas irão procurar outra pessoas que o priorize e se apegarão a ela. Caso o pai negligencie, o filho se apega na mãe e fica dependente dela, o pai tem uma função importante de mostrar que existe segurança além do colo de mãe. Dar atenção e carinho ao filho é dever dos pais, cada um com seu papel para a boa formação da personalidade do filho.

Dar prioridade para seus filhos é presenteá-lo com uma boa autoestima, com o senso de que pode contar com alguém em todos os momentos é dar para ele a segurança de que ele estará pronto para contar consigo mesmo quando for adulto, já que teve um adulto como seu porto seguro na infância.

7. Contar histórias.

Contar histórias para os filhos é como dar-lhes uma especialização em ser criança. Ao ouvirem, precisam aprender a compreender as situações das histórias e entender a ordem das coisas, que tudo deve ter um início, meio e um fim, que um dia vem depois do outro e o ontem vem antes do amanhã. Não há nada tão interessante e divertido como ouvir as coisas que acontecem com os outros e ver como eles resolvem os seus problemas a partir do lugar mais seguro do mundo, os pais. Eles se identificam com os personagens e tiram exemplos para resolverem seus próprios problemas.

Ouvir a voz do pai e da mãe envolve e conforta as crianças, dá forças e acama para passar um dia tranquilo ou para passar a noite que é cheia de mistérios!

8. Deem valor às questões de crianças.​

Muitas coisas que para nós é tão simples e comuns, para a crianças pode representar um problema enorme. Assim, não menospreze os problemas e situações que seus filhos passam, que o embaraçam e assustam, lembre-se que quando criança você já passou por alguma coisa do tipo.

Conte para ele como foi passar por determinado problema, como resolveu e como seus pais o ajudaram. Oriente seu filho e o respeite.
Muitas coisas acontecem na escola e locais frequentados por seus filhos que eles podem levar a você, nem que seja para ser ouvidos, então valoriza a fala dele.

9. Tempo é o maior presente que se pode dar a uma pessoa.

Sabemos que a vida é corrida e que em alguns dias tudo o que queremos é chegar em casa, deitar e descansar.  Mas depois que temos filhos, nasce também a necessidade de estar presentes na vida deles.

Podemos aproveitar para ficar com eles durante algumas atividades e envolvê-los nelas. Atividades como:  preparo das refeições, do lanche e mochila para escola, quando estivermos jogando, ouvindo músicas.

A qualidade do tempo com os filhos, seja crianças ou adolescentes faz toda a diferença no futuro deles, pois as bases de suas personalidades são formadas a partir da interação com os pais. Eles tem muito o que aprender conosco, pois somos seus heróis, exemplos e as pessoas que mais eles mais admiram. 

 

 

  Um abraço e muita felicidade em família!

Psicóloga e Coach Celma Maciel 

Rev 01

© 2019 · Celma Maciel. Todos os direitos reservados. Termos de uso e Privacidade.