​Continuação:

Por Que Não é aconselhável

Dormir Junto Com seu Filho? 

Ao chorar ou ter comportamento de desaprovação ela pode estar tentando reconquistar a porção de atenção e tempo dividido com você. Pode também, simplesmente, estar cumprindo tarefas passadas pela mãe para afastar você da relação ou fazer o casal desentender. Nas duas situações, sua resposta deve ser a mesma, conversar antecipadamente com seu namorado, mostrando evidências de que o objetivo do comportamento é afastar vocês dois, mas que se conversarem, analisarem a situação e explicarem a dinâmica das relações todos sairão ganhando. Deixe claro para ele que o relacionamento romântico é de vocês dois e que o objetivo da ex-mulher é afastar vocês de alguma forma. Se vocês como casal não resolverem de uma forma civilizada, pensada e tranquila, estarão permitindo que ela atinja seus objetivos de interferir e participar de um relacionamento que ela não faz parte! Então NÃO deixe que ela participe e prejudique o relacionamento seu relacionamento.

Agora, vamos falar de um assunto delicado: a cama, quarto, os comportamentos para dormir. Como já falei, o amor grande pelo filho, o excesso de cuidado e mimos para tentar compensar o tempo de ausência, faz com que os pais tenham comportamento "cegos", querem agradar e atender os filhos. Muitas vezes agem pela emoção e não pensam nas consequências ou efeitos que alguns comportamentos oferecem. Existem outras variáveis que influenciam para que os pais deixem seu filhos dormir na mesma cama. Não é o caso do seu namorado, mas muitos pais ao saírem da relação e da casa do casal vão para imóveis menores, com apenas um quarto, uma cama. Ao terem apenas este espaço confortável para dormir, deixam os filhos dormirem com eles, assim, dão mais atenção e não os entristece colocando-os para dormir na sala ou outro cômodo da casa. Muitas vezes por inocência, ou falta de "malícia" dormem na mesma cama que os filhos. No artigo" Por que dormir sozinho", exponho vários motivos para que o pai não leve o filho para sua cama ou quarto.  Mas, vou mais além, digo que no caso de pais separados, não aconselho que durmam com os filhos em hipótese nenhuma, nem nas situações, as quais descrevo serem permitidas. O motivo é simples, é comum os pais não manterem relacionamentos no mínimo cordiais após a separação. A consequência disso é que as relações são conturbadas, cheias de briga e judicialmente litigiosas.

 Neste desejo incontrolável de prejudicar, qualquer falha, deslize, desatenção ou comportamentos que são diferentes do imaginado como obrigatório ao outro pai, pode gerar de desconforto até mil páginas de um processo judicial. O pior é quando um dos pais usa o filho como espião, atitude totalmente alienante e prejudicial a saúde mental da criança. Nesta situação, ao invés de se divertir e viver a as delícias de sua fase de desenvolvimento, para aproveitar com o pai não detentor da guarda nas oportunidades de interação, o filho fica a serviço doentio da mãe ou pai obsessivo por informações sobre a vida do ex. Este comportamento pode ser tão absurdo chegando muitas vezes ao cúmulo da insanidade mental de mandar o filho gravar conversas, fotografar para ter provas contra o ex-parceiro (a), ou simplesmente para ver o que acontece. Toda esta conversa, é para dizer que os comportamentos que envolvam o filho, precisa ser cuidadoso para não ser mal interpretado. Infelizmente a aparência é muito importante, não basta ser correto, os seus comportamentos com seu filho de um ex relacionamento, tem que também parecerem corretos. Assim, dormir com os filhos, pode ser muito mal visto, e em mentes capciosas, é entendido como indício de possível agressão sexual. Isso pode gerar um longo e trabalhoso processo judicial. No caso de "Alienação Parental", síndrome comum atualmente, será, com certeza usado pela mãe para afastar a filho do pai e em muitos casos este e afastamento é conseguido judicialmente, até que se prove a inocência do pai. Mas na maioria das vezes, o argumento de agressão sexual ocorre para alienar o filho, o que pode causar sérios danos psicológicos. Enfim, dormir com a filha, além de causar confusão de conceitos sobre papéis sociais, podem antecipar a sexualidade da criança para uma fase não adequada e podem dar motivos para uma falsa acusação de abuso sexual (Isso é muito comum atualmente).

Quanto a se expor diante da filha de roupa íntima, com a menina também com o mesmo traje, considero um comportamento não apropriado. Sabemos que seu namorado não possui más intenções e que jamais faria algo que prejudicasse a filha, que considera uma joia.  Sabemos também, os pais que tem desejos impróprios direcionados aos filhos não são psicologicamente normais e que isso, mesmo sendo comportamento mantido em segredo, poderia ser perceptível em algumas situações e comportamentos. Mesmo assim, o pai deve colocar limite na situação de exibição, pois, quando se separam, são visto pelos filhos como mais sexuais, assim, se apresentar de roupa íntima, não é aconselhável, pois pode ativar a excitabilidade inadequada a idade. As roupas íntimas que geralmente são produzidas em material mais confortável, fino e macio, tecido que acompanha todas as curvas do corpo onde cobre, e geralmente cobre pouco, ou seja, mostra detalhes desnecessários para a filha.

Mas como já citei neste artigo, ter bons comportamentos não é o bastante, é preciso também aparentar não ter, sendo assim, este comportamento deve ser banido e excluído, pois, se ela comentar com qualquer outra pessoa que eles ficam de trajes íntimos, dormem na mesma cama, será difícil não pensar e tirar conclusões indevidas. Não por medo do que as pessoas falem, mas pelo perigo de uma denúncia de abuso sexual.

Enfim, Qualquer comportamento que remeta a algo mais íntimo, comportamentos que se tem com a namorada, deve ser evitado. Os pais podem demonstrar seu amor e dedicação dando atenção, se envolvendo e preocupando com vida, amigos, problemas e interesses dela. Pode mostrar carinho elogiando, falando do quanto ela é importante e faz a vida especial, dizendo como gosta de dedicar o tempo com ela. Transmitam sentimentos fazendo coisas juntos, façam sanduiches pasteis, bolos, conte sobre como foi bom acompanha-la crescendo e se desenvolvendo. Mas o mais importante é o diálogo entre você e seu namorado, a cumplicidade e união de vocês dois será a chave para resolver de forma satisfatória os problemas com sua enteada ou qualquer outro que vier aparecer. Tendo –o como aliado, poderão tomar decisões mais a vocês serão muito felizes juntos.

Um Grande Abraço,

Psicóloga Celma Maciel

© 2019 · Celma Maciel. Todos os direitos reservados. Termos de uso e Privacidade.