A Mãe Quer Impor Que a Criança Durma

com o Pai ou Junto Com o Casal

 

Oi, gostei muito do tema sobre os filhos dormirem em seu próprio quarto. Meu marido tem uma filha de 3 anos e 10 meses que dorme na mesma cama que a mãe e mesmo ele pedindo ela já disse que não vai colocá-la para dormir separado. Quando ela está com a gente, que é de sexta a segunda-feira a cada 15 dias e 1 vez no meio da semana (todas as semanas), ela dorme com a gente no quarto em uma cama colada na nossa ou então dorme com ele na cama e eu em outro quarto. Ele já tentou uma época colocá-la para dormir no quarto dela mas ela chorava a noite inteira e começava pedir pela mãe. Ele está com medo de tentar de novo e ela começar a não querer mais vir com ele pois sabe que se ficar com a mãe vai poder dormir junto. O que podemos fazer nesse caso? Desde já obrigada.

 

Escrevi um artigo sobre este assunto  - Por Que Não é aconselhável Dormir Junto Com seu Filho? (Parte I) e Por Que Não é Aconselhável Dormir Junto Com os Filhos (Parte II), nos quais abordei sobre o quanto é prejudicial dormir no quarto dos pais, seja só com a mãe ou com o pai. Nele, falo sobre os pais divorciados e com suas novas companheiras e também da importância de que a nova esposa tenha seu espaço e papel demarcado, ou seja, que não saia da cama do casal para dar lugar à criança, pois isso causa uma grande confusão na cabecinha da criança.

Tenho a impressão (achismo mesmo) de que a mãe tem a intensão de com este comportamento, desanimar a filha a visitar o pai, o que é muito comum. Outro achismo é que a ex-mulher dele, esteja tentando com estas exigências , fazer com vocês se desentendam, briguem e fiquem infelizes. Então, existem algumas estratégias a serem tentadas. Não esqueça que tudo deve ser feito  junto com seu marido, tudo precisa ser discutido e combinado antes com ele, sendo a participação ativa dele em cada estratégia imprescindível .

Conversar com a criança -  mostrando que ela já está ficando mocinha e que as mocinhas não dormem no quarto dos pais. Que os bebês pequenos, as vezes, vão para a cama da mãe para mamar no peito. Ela não mama mais, não é?

Premiá-la – reforçar o comportamento de dormir no quarto dela, fazendo alguma atividade que ela aprecia. Exemplo: se você dormir no seu quarto neste final de semana ou hoje, nós iremos ao parque fazer um piquenique, andar de bicicleta, ou ao shopping assistir aquele filme que você quer, seja criativo, para propõe algo interessante. Se quiser dar um presente pelos dias dormidos sozinha, pode ser. Lembre sempre que o prêmio deve ser algo atrativo e que o preço não é o mais interessante, mas o tempo, a diversão e a felicidade da menina é que conta. Para crianças desta idade não é aconselhável dar um prêmio por mês, ou quinzenal, pois as coisas para ela, devem ser mais concretas e crianças desta idade não tem boa noção de tempo. Fale para ela o número de noites que ela precisa dormir, assim: só sexta, sábado e domingo, e na quarta-feira (o dia da semana que ela fica com vocês), olha são 4 noites(mostra nos dedos) , 1,2,3,4 você vai...

 

Tornar o quarto mais atrativo – avalie o quarto, o que tem de interessante para uma menina da idade dela. Tem brinquedo, tem a cor que ela gosta, o edredom, lençol, fronha, o ursinho ou outra pelúcia, a cortina, tem um pijama lindo que ela escolheu?  O quarto precisa atraí-la. Se não puder ou quiser gastar com decoração vá a lojas de festas e compre aqueles painéis decorativos de aniversário e faça você mesmo algo bonito no quarto, use a criatividade. É interessante levá-la para escolher o que ela gosta para o quarto dela, isso incentivará a querer usá-lo. Ressalto que o lindo e interessante não precisa ser caro, só precisa ser de bom gosto e que ela goste.

 

Ritual para dormir – o que acontece antes de levá-la para o quarto? Tem uma rotina? É momento de tensão ou alegria? De demonstração de amor e carinho?  Não? Então, mantenha uma rotina mais divertida. Conversem com ela antes e comuniquem que a partir de...( marque o dia, hoje, amanhã) vocês irão fazer algumas atividades antes de dormir. Sugestão: se ela tem o hábito do comer algo antes de dormir, dê algum alimento leve e que ela goste muito, leve-a para tomar banho morno e relaxante e para escovar os dentes, vista o pijama lindo, leve-a para a caminha conte uma história que ela gosta de ouvir (mesmo que seja a que você já contou mil vezes). Falem o quanto vocês a amam, o quanto é importante tê-la com vocês, que sente saudades quando ela está longe, que ela é linda, etc. Por último, faça Papai do Céu, pedindo um soninho relaxante e tranquilo, dê boa noite e diga que vocês vão para o quarto de vocês, mas que estarão pensando nela o tempo todo e que irão vê-la durante a noite várias vezes, dê boa noite, beijinhos, deixe o quarto com iluminação fraca e a porta entreaberta. Se sentirem dificuldade leiam e pratiquem a Técnica de Aproximação Sucessiva para o comportamento de Dormir Sozinho, do artigo Você Acha difícil colocar seu filho para a Dormir? Relaxe...

 

Não pernoitar – a última e mais radical sugestão é que a criança não pernoite. Melhor que ele não durma na casa de vocês do que dormir e ser prejudicada. 

Um outro aspecto da situação é que, infelizmente, está cada vez mais comum ver pais sendo acusados indevidamente de terem abusado sexualmente da criança. A situação de impor que a criança durma no mesmo quarto e/ou cama pode se transformar em acusação de agressão sexual .  Se a mãe já encontra motivos, onde não existe, para que haja discórdia, não  podemos confiar na critividade. Os casos de Alienação Parental são muito frequentes e, em um estágio mais avançado da Síndrome, um dos comportamentos do genitor que tem a guarda da criança é a acusação de abuso sexual. Isto não é exagero, no momento estou acompanhando quatro casos de Síndrome de Alienação Parental e todos são bem complicados. Não só por receio de um processo, mas pelos problemas que podem causar na criança descritos no artigo anterior, vocês devem mudar esta situação.

 

A criança precisa conviver com o pai da forma como ele vive, conforme vocês vivem, não como a mãe quer!  A casa é de vocês, as regras são de vocês, não deixe que a mãe da menina imponha as regras da SUA casa. Se forem cedendo a todas as imposições, a vida de família e casal de vocês pode se deteriorar, pois terão uma terceira pessoa (a ex-mulher)  indesejável comandando a casa. Comandando e acabando com o relacionamento de vocês, este pode ser o objetivo dela, o que mostra que ela pode não ter aprendido com o relacionamento, como o término, com a vida, com as experiencias.

Se não quiserem usar nenhuma das sugestões colocadas, o melhor é passar apenas o dia com a criança, é melhor assim do que prejudicá-la psicologicamente. Talvez propondo esta opção a mãe mude de atitude. Mas antes de tomar esta decisão converse com o advogado e exponha a situação, os prejuízos que a criança terá e os riscos que o pai e você como madrasta poderão ter se manterem a criança no quarto.

 

Um grande Abraço.

Psicóloga e Coach Celma Maciel 

© 2019 · Celma Maciel. Todos os direitos reservados. Termos de uso e Privacidade.