Meu Enteado  -  Como lidar com seus maus comportamentos?

 

"Sou noiva de um pai divorciado, o menino tem 4 aninhos. Mantemos um relacionamento saudável, porém o comportamento dele é muito instável, uma hora está normal, feliz e brincado, outra está impossível, manhoso, birrento. Isso vem sendo cada vez mais frequente.

Nos dias em que o pai não consegue ir à cidade que moramos, quem fica com o menino é a avó paterna.
Há algum tempo os comportamentos do meu enteado vem sendo cada vez mais difíceis, com as manhas, as birras, etc.
No banho e para a cama quer levar carrinhos, bonecos, o quarto inteiro...
O que tem me incomodado um pouco quer sempre dormir na cama com a gente, no começo uma ou duas vezes por mês eu não via problema algum, mas está na hora de dormir no quarto dele e não sei como fazer isso.
Sinto dizer, mas isso tem me incomodado tanto, que está até interferindo no meu relacionamento com meu noivo, porém me sinto muito reprimida para falar isso a ele. Já sentamos uma vez e comentei que a criança precisa de um pouco mais de disciplina e rotina, mas fica complicado..."

 
Vejo que é bastante sensata, mas gostaria que não esquecesse de que não importa como é a mãe dele, como ele se comporta na casa da mãe ou de outras pessoas, o importante é que com você e seu noivo, marido ele terá um padrão de comportamento. Não se esqueça de que jamais substituirá a mãe, pois o laço com ela é eterno e diferente, mas podem e devem ser bons amigos e companheiros.  

Algumas atitudes precisam ser tomadas com urgência para amenizar estes comportamentos do seu enteado. Ressalto que o carinho e amor devem ser demonstrados em todos os momentos, por você e seu noivo para conseguirem alcançar seus objetivos. O importante neste relacionamento é a convivência  entre seu enteado e o casal seja harmônico e capaz de gerar muita alegria e mais união entre vocês. Que a criança seja um componente de felicidade e não que atrapalhe a vida dos três e principalmente a da criança.

Conversa para acertar o que precisa ser feito para o bem estar da família.

Uma conversa séria com seu noivo sobre o comportamento dele, quando está diante do filho é primordial. Na maioria dos meus artigos você vai encontrar a sugestão para que regras sejam estabelecidas, é o que sugiro a você também. Monte um quadro de regras para serem seguidas quando o menino estiver na casa de vocês. Mostre ao pai e quando o menino chegar, apresente a ele e deixe claro que será assim em sua casa e na casa da vó quando ele estiver com você ou o pai. Se ela não seguir o combinado, mantenha-se firme e siga as regras. Faça um painel divertido com figuras, fotos e desenhos com as regras e as deixe expostas em local sempre visível, para que vocês não precisem ficar relembrando.

Exemplo:
Em caso de birra ou manha vocês NÃO farão o que ele está sendo solicitado. Aqui sugiro, que não dê atenção ( contato verbal ou visual) a ele, quando apresentar este comportamento, façam ou continuem fazendo suas atividades mostrem que vocês não estão sendo atingidos pelo comportamento dele. Vocês podem virar de costas e conversar sobre assuntos que não tem a ver com a criança, por exemplo: o programa que você e seu noivo farão na próxima visita. Ajam como se ele não existisse. Inicialmente ele poderá apresentar o a comportamento de forma mais exagerado, para tentar ganhar a atenção perdida, mas depois ele perceberá que as birras e manhas não estão mais surtindo o efeito buscado (receber atenção) e este comportamento irá diminuir até desaparecer. 

A Comunicação.

Você disse que ele tem o  costume de não falar quando quer alguma coisa, fica fazendo voz de manha, se escondendo. Quando ele apresentar estes comportamentos o único caminho é não insistir, não pedir que ele fale direito. É necessário, neste caso,  que  você e seu noivo simplesmente não deem o que ele quer, somente e apenas dê se ele pedir da forma correta. Assim, nas regras que vocês irão estabelecer, insira que ele só receberá o que quer se falar corretamente. Como as regras estarão expostas e já terão sido apresentadas a ele, vocês não precisarão pedir e repetir "fale direito", ele já sabe da regra. A parte de vocês nisso, é não atender e não dar atenção se ele não agir conforme o acordo . Mas quando ele falar bonito dê toda atenção, abaixe para ouvi-lo e dê um carinho, reforçando o comportamento correto. Assim, logo ele vai perceber que é mais vantajoso falar direitinho.

Hora da refeição

Para a hora das refeições outra regra de ouro. Estabeleça um local e ambiente para comer, o melhor é na mesa. A regra deve incluir a televisão desligada e o cardápio do dia. Ele só não comerá o que está sendo oferecido se tiver intolerância ou alergia. É importante que, no cardápio do dia que ele estiver em sua casa, não tenha coisa que a maioria das crianças não gostam, como berinjela, quiabo - tenham alimentos interessantes e que ele aprecia. Ele deve comer o que é oferecido na refeição e não o que ele escolher, a casa não é restaurante e ele ainda é está na idade de ser orientado e não de mandar. Não esqueça que tudo isso deve ser colocado com muito carinho, firmeza e constância, pois o lar precisa de harmonia . Os pais e responsáveis que devem ser os orientadores, eles  devem colocar os limites, pois são eles que tem a experiência de vida para guiá-lo.

Banho

Quanto aos brinquedos no banho, diga que ele poderá brincar com eles depois que estiver limpinho e cheiroso. Estabeleça a regras de banho sem brinquedo. Se quiser estabelecer um dia em que ele pode escolher 1 brinquedo para levar para o banho, fica a seu critério. Ele irá gostar se você deixar que ele leve 1(UM) brinquedo para o banho de banheira no sábado, por exemplo, como recompensa pelo bom comportamento da semana.

Dormir

Para dormir, se ele quiser escolher um brinquedo como um boneco ou pelúcia, não há problemas, se ele for para a cama dele.  Porém, ao dormir, é  inadmissível que ele durma na cama com vocês, por vários motivos: atrapalha a intimidade do casal, pode erotizar e aguçar a imaginação da criança, se acaso algum dia houver litígio quanto à guarda ou qualquer outro problema entre a mãe e o pai da criança, a questão de dormir na cama com o pai e a noiva poderá ser levantada e  será complicado. E o mais importante: quarto do casal é do casal e de ninguém mais! Este é o limite! Esta é a regra! Se ele tiver medo de escuro deixe uma luzinha acesa, mas façam com que ele obedeça à regra. Importante avaliar o medo antes de fazê-lo obedecer a regra.

O mau comportamento do seu enteado vai interferir, e muito no seu relacionamento com seu noivo se vocês não estabelecerem e seguirem estas regras. 

Mentira

A mentira é algo muito delicado, pode também ser fruto da imaginação ou uma forma de conseguir atenção. Mostre a ele que você sabe que ele está mentindo e não dê atenção quando ele exibir este comportamento. Vou escrever um artigo sobre como lidar com a mentira, aguarde.

Tratamento dispensado ao seu enteado

O comportamento dele com você não é por medo, é simplesmente porque ele sente a segurança do limite. Com você, ele não precisa usar de artimanhas, sua firmeza e segurança o fazem sentir seguro e maduro, não precisando ser um bebê para ser atendido. O pai dele também deve tratá-lo como um rapazinho em desenvolvimento e não como um bebê que ele não é mais. Fazer como você fez, olhar nos olhos e falar firme, é o que a criança gosta e precisa para sentir amada.

Peça ao seu noivo que converse com a sua mãe ( vó da criança) para que coopere com a educação do neto, que as atitudes dela não estão colaborando para a formação do caráter e personalidade saudável da criança. O carinho deve ser dado, mas no momento certo e não, nunca para reforçar comportamentos disfuncionais que não contribuirão para o crescimento do menino.

Atitudes dos responsáveis

O falar firme é mostrar segurança na voz em tom baixo e audível. Esta atitude mostrará para o menino um pai maduro, forte, que sabe o que quer , um homem, um exemplo do que ele vai querer ser quando crescer, o pai-herói.

O limite o deixará seguro e feliz, a orientação com as regras o fará saber o que é certo e dará base para o sucesso de um grande homem no futuro.

Lembre-se, estas regras valem quando ele estiver com vocês e mesmo se a vó não cooperar, a forma de agir com ele, será conforme as regras, se a vó reforçar será ela e não vocês. Se for necessário saia do local no momento em que a vó não estiver agindo conforme o qe foi estabelecido, você sentirá melhor.

A única coisa que as crianças querem é serem amados, por isso se entregam completamente quando sentem que o outro é verdadeiro, que o sentimento é verdadeiro. Não será fácil e muitos problemas surgirão no dia-a-dia, mas as regras ajudarão muito.  

 
Se todos derem o melhor de si, tudo dará certo.

Grande Abraço


Psicóloga Celma Maciel

© 2019 · Celma Maciel. Todos os direitos reservados. Termos de uso e Privacidade.