• Celma Maciel

6 FORMAS DE PROCEDER ASSERTIVAMENTE ANTES DE VISITAS DA FILHA COM O PAI E SUA NOVA FAMÍLIA

Este artigo é resultado de uma conversa com uma amiga, pelo whatsapp que resolvi publicar, pois vejo muitos pais e mães mostrarem imaturidade  agindo de maneira que prejudica seus filhos e filhas em seus relacionamentos no presente e futuro, por motivos egoístas.


A mensagem: 

​"Bom dia flor!!


Pela primeira vez em 5 anos de divórcio minha filha aceitou viajar para praia com o pai dela.


Meu ❤ está apertadinho, mas acho que é normal.


Eles vão amanhã cedinho e voltam no domingo."


A partir desde comentário, resolvi escrever um pequeno "manual de instruções" sobre como proceder de forma assertiva, que mostre maturidade e inteligência nesta situação que é simples, mas que muita gente, pais e mães complicam. 


Observação: A minha amiga não precisa destas dicas, já que é bastante madura e inteligente, mas acho bom lembrar...​ Ah! Ela autorizou a publicação de parte da conversa! 


​Meus comentários:


Fico feliz, pois, por mais que, como mães, soframos, a interação com o pai é extremamente importante para os filhos e principalmente para a filha!


Sei que a vontade é de não deixá-la ir, mas é essencial para que ela cresça, amadureça, seja uma mulher feliz e para que consiga aprender a ter discernimento para fazer boas escolhas no futuro.


Aqui estão algumas sugestões para lidar de forma assertiva com esta situação, o que irá ajudar na formação da personalidade da sua filha, principalmente quanto a relacionamento interpessoal, visão de mundo, das pessoas, do futuro e de si mesmo:

​Antes do passeio:


1- Documentos:

Envie cartão do plano de saúde e documentos pessoais dela, acidentes acontecem e você não vai querer que sua filha seja mal atendida por implicância sua.


Existem mães que não enviam o cartão plano de saúde para que o pai seja obrigado a pagar tratamento particular, caso seja necessário.


Pense que isso pode ser inviável ou difícil em algumas situações por vários fatores como: 


  • Acidente envolvendo o pai;

  • Falta de recurso financeiro;

  • Perda ou esquecimento da carteira;

  • Motivos que poderão deixar sua filha sem o tratamento mais adequado ao que necessitava no momento.

Mensagem passada a sua filha ao enviar cartão do Plano de saúde e documentos:


  • Minha mãe se preocupa com meu bem estar;

  • Cuida de mim e me protege;

  • Minha mãe é madura e sabe separar sua mágoa e raiva das minhas necessidades como filha. 


2- Roupas e objetos: Envie roupas e objetos que a façam sentir bem durante a visita, se achar melhor, faça uma listinha do que enviou para que ela tenha controle do que foi levado e do que deve voltar.


Isso é importante, pois, existem mães que não enviam roupas adequadas (de frio, de calor  ou em condições de serem usadas) para a do casa e o pai,  este não tem condições para comprar e a criança fica constrangida de se apresentar socialmente com roupa sem condições de uso (velhas, pequenas, rasgadas)  ou com alguma peça do pai.


Já testemunhei o pai sem mamadeira e leite da filha, em desespero por não ter onde comprar após chegar em um hotel-fazenda à noite.


Mensagem passada a sua filha quando você envia o que é necessário para o bem estar da criança:


  • Minha mãe me ama e cuida de todos os detalhes para que eu fique confortável;

  • Ela é um exemplo de mulher que quero ser e merece ser cuidada como cuida de mim;

  • Para o menino, o exemplo aprendido através das atitudes da mãe montará o perfil de mulher que ele vai escolher, assim, uma mulher que cuida e se preocupa com ele ou que o deixará passar por situações constrangedoras para satisfação de suas implicâncias.  



3- Comunicação: Não peça a sua filha para ficar te comunicando tudo o que acontece na casa do pai, além de constrangedor para ela, irá atrapalhar o passeio e o relacionamento com o pai, o que será prejudicial para ela e seus relacionamentos, inclusive com você.


Este comportamento mostra que você é imatura, que está com a vida parada, que não tem coisas interessantes para fazer (vulgarmente:"mal resolvida!").


Existem mães que obrigam a filha a relatar tudo o que acontece durante as visitas ao pai e sua nova família. Algumas instruem os filhos a ir ao toalete sempre que há algo de diferente para informar.


Mensagem transmitida:


  • Você não possui vontade própria, eu mando e você sem questionar, obedece. Isso é manipulação!

  • Seja fofoqueira para ser uma boa filha;

  • Observe e transmita comportamentos e situações intimas das pessoas para outras, sejam elas quem forem;

  • Assim você poderá conversar, falar mal, supor (inventar situações) e criticar as pessoas e sempre terá assuntos interessante.


Imagem da mãe transmitida a filha:


  • Sou insegura, mesmo tendo a idade que tenho, possuo reações infantis, por isso, não consigo cuidar da minha vida e das minhas questões. Assim, me ocupo observando a vida dos outros, já que a minha vida é complicada, estacionada e eu não consigo olhar e resolver meus problemas.


A criança ou adolescente que vivencia situações assim:

  • tem grande propensão a crescer insegura ao julgamento das outras pessoas quanto a ela (conforme o que aprendeu por imitação do exemplo da mãe).

  • poderá ser intolerante à crítica.

  • estará sempre na defensiva, mesmo em situações que não oferecem riscos ou agressões não se sentirá confortável.

  • poderá ter fortes sentimentos de defectividade e por isso poderá apresentar arrogante, dificuldade para lidar com abandono (as pessoas me observam para me criticar, sempre acharão algum defeito, quem vai querer ficar comigo, se sou uma pessoa com defeitos e problemas ), etc.


4 - Encomendas de comportamentos e falas: Não envie recados, nem treine sua filha para inserir algumas falas em conversas durante a estada com o pai e sua nova família.


As pessoas percebem o inconveniente, o que será constrangedor para sua filha e para você, mostrando mais uma vez sua imaturidade e dificuldade para lidar com novas situações, com perdas e com sua vida.


Não aconselhe sua filha a se vestir de forma inadequada ao ambiente para constranger o pai ou a nova família dele, como por exemplo ir a igreja com shorts curtos  ou a um restaurante de alta gastronomia com roupa de dormir.


Situações assim, constrangem sua filha, não o pai ou a madrasta. Sua filha não precisa passar por isso!


Mensagem transmitida quando a mãe ensina a menina a se vestir compatível ao local:


  • Minha mãe me ama e se preocupa se estou adequado em todas as situações;

  • Me ensina a me comportar de forma correta em todos os ambientes, para que eu me sinta segura e aceita.

  • Este é o exemplo de mulher madura que preciso seguir. 

Mensagem transmitida quando a mãe deixa a(o) filha(o) se comportar verbalmente de maneira espontânea conforme a situação: ​


  • Minha mãe sabe se comunicar de forma assertiva, clara e direta;

  • Ela respeita meus limites, minha idade, imaturidade e não me usa como objeto de comunicação;

  • Ela sabe como resolver problemas e encará-los de frente, é segura, madura e inteligente.


5- pedidos para comprar objetos caros:

Cuidado ao influenciar sua filha a fazer pedidos de objetos ou coisas caras, isso pode constranger a criança por ser obrigada a se submeter a situações contra sua vontade, mesmo que sejam por coisas que ela queira.


Mensagem transmitida pela mãe ao falar para a filha pedir coisas caras ou incompatíveis a situação:


  • as pessoas devem ser exploradas no que você conseguir.

  • as relações não acontecem por sentimentos, mas por interesse financeiro.

  • você será explorada e deve fazê-lo antes que o façam a você.


Esse comportamento poderá gerar na criança ou adolescente:

  •  falta de confiança no mundo e nas pessoas.

  • sentimentos de incompletude, insegurança, desesperança, medo (tudo o que eu faço nunca será suficiente para agradar as pessoas e muito  menos a mim mesmo)

  • fobia de relacionamentos, visão de mundo, das pessoas e do futuro como inseguros, etc.


6- sobre limites e autoestima:

Ensine-a a ter noção conforme a compreensão e idade, sobre quem ela é, sobre seus sentimentos por ela, mostrando suas qualidades, o que sabe fazer de bom, suas características pessoais para que ela não acredite e fique segura caso alguém fale ou faça algo para que ela sinta inferior ou inadequada.


Se a pessoa sabe quem ela é, ficará segura e confiante em situações que poderiam causar sentimentos de menos valia. 


Ensine-a, principalmente através de seus comportamentos de pessoa adulta, a ter limites pessoais claros, discernindo o que são comportamentos agressivos ou invasivos das outras pessoas em relação a ela e dela em relação as outras pessoas. Isso ajudará a saber como interagir de maneira respeitosa com as outras pessoas e como exigir respeito.

 

Colocando estes itens em prática  você não precisará se preocupar com sua filha durante a viagem, pois com certeza ela estará muito bem!

1 visualização
© 2019 · Celma Maciel. Todos os direitos reservados. Termos de uso e Privacidade.