• Celma Maciel

DEPRESSÃO EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES

O Dicionário de Saúde Mental, o DSM-5, em sua classificação estipula nove critérios para depressão, dos quais cinco devem estar presentes. Para firmar um diagnóstico, é necessário que os sintomas estejam presentes por pelo menos duas semanas, que representem uma alteração em relação ao funcionamento anterior e que um deles seja obrigatoriamente o humor deprimido e/ou perda de interesse ou prazer.

Principais sintomas (critérios):

1. Desânimo, tristeza (Melancolia) em todas ou quase todas as atividades na maior parte do dia, quase todos os dias

  • Expressão ou demonstração de tristeza, solidão e pessimismo;

  • Mudanças de estado de ânimo, mau humor;

  • Irritabilidade e aborrecimento frequente;

  • Ficar triste ou chorar por "qualquer" coisa (Hipersensibilidade);

  • Enxergar tudo de maneira negativa ou ver apenas as dificuldades e pontos ruins das coisas, pessoas, futuro.

  • Dificuldade para consolar e agradar.

2. Visão negativa de si mesmo quase todos os dias

  • Sentimentos de incapacidade, inutilidade;

  • Se culpa por tudo de ruim que acontece ao seu redor;

  • Ideias de perseguição.

3. Apresenta-se mais agressivo, agitado, irritado quase todos os dias

  • Dificuldades nas relações interpessoais - briga facilmente, se magoa facilmente, considera as outras pessoas como cruéis, sem sentimentos, julgadoras;

  • Pode, com facilidade, se envolver em brigas e encrencas;

  • Pode apresentar menos respeito pela autoridade dos pais, professores, etc.;

  • Pode apresentar hostilidade e agitação;

  • Discussão, brigas excessivas e ira súbita.

4. Alterações de sono quase diária/noite


  • Pode apresentar dificuldade para "pegar" no sono - Insônia inicial;

  • Apresentar agitação durante;

  • Acordar muito antes do horário (insônia tardia, despertar precoce);

  • Dificuldade para acordar pela manhã.

5. Mudanças no Rendimento Escolar

  • Queixas frequentes dos professores: falta de concentração e de memória;

  • Desmotivação para fazer atividades e tarefas escolares;

  • Perda do interesse habitual por atividades fora da escola como: Inglês, lutas, dança, natação, teatro.

6. Desinteresse em participar de atividades sociais em todas ou quase todas as atividades na maior parte do dia, quase todos os dias

  • Menor participação em grupos;

  • Diminuição da vontade de estar entre pessoas: pode se apresentar menos simpático, menos agradável;

  • Pode ficar mais reservado, tímido, acanhado;

  • Perda dos interesses sociais que antes gostava e sentia motivado.

7. Mudança de atitude na escola

  • Não quer mais se envolver em atividades na escola;

  • Pode argumentar que não gosta de fazer tais atividades, que é chato, que é ruim, etc.;

  • Recusa em ir à escola.

8. sintomas físicos

  • Queixas frequentes dos professores: falta de concentração e de memória;

  • Desmotivação para fazer atividades e tarefas escolares;

  • Perda do interesse habitual por atividades fora da escola como: Inglês, lutas, dança, natação, teatro, etc.

9. Desânimo, perda da energia habitual - quase todos os dias

  • Perda ou diminuição do interesse, vontade ou desejo por atividades e treinamentos extraescolares;

  • Diminuição de energia, fadiga, cansaço física e/ou mental;

  • Cansaço injustificado, exagerado por esforço ou atividade intensa.

10. Mudança no apetite e/ ou peso habituais

  • Aumento, diminuição ou perda do apetite - come o tempo todo ou para de comer;

  • Pode dizer que os alimentos estão ruins, que não gosta;

  • Diminuição do peso ou aumento do peso.

11. pensamento de morte, suicídio

  • Presença de pensamento, ideias sobre morte e morrer (ideação suicida recorrente);

  • Ideias de suicídio sem um plano específico;

  • Tentativa de suicídio;

  • Plano específico para cometer suicídio;

  • Fala sobre a vontade desaparecer, de morrer, de sumir, que está tudo ruim e que a solução é ser "riscado do mapa", "deletado";

  • Desejos de fugir de casa, da escola.

Outros sintomas que podem estar presentes como desesperança, pessimismo, irritabilidade, retraimento social, esquecimentos, ansiedade, sintomas físicos sem explicação, sintomas paranoides, sintomas obsessivos e compulsivos e baixa autoestima.


Crianças

Em crianças de 8 a 12 anos os sintomas podem variar conforme a maturidade.


Os comportamentos apresentados são relacionados a dificuldades na escola e a relacionamentos com os amigos.


Aumento da irritabilidade, agressividade, oposição e desafio.


Crianças depressivas nesta idade podem apresentar sintomas de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) e de Transtornos Disruptivos (Transtorno Desafiador e de Conduta).


Adolescentes


A fase da Adolescência, é caracterizada por comportamentos que desafiam o diagnóstico da Depressão, porém os sintomas são bem mais próximos dos apresentados em adultos.


Os confrontos familiares e questões de autonomia, dificultam a exposição dos comportamentos aos pais ou responsáveis, assim, o isolamento é típico de adolescentes deprimidos.



A depressão é comumente acompanhada por Ansiedade, também podem aparecer sintomas antissociais e desafiadores.


Deve-se atentar para situações de abuso, agressão e negligência sofridos pela criança ou adolescente como fator desencadeador do quadro depressivo.


Eventos importantes na vida da criança ou adolescente, devem ser observados como propulsores Transtorno Depressivo.


Estes eventos podem ser:


  • Morte de pessoas com as quais relacionavam;

  • Separação dos pais, término de namoro/relacionamento, situações judiciais nas quais a criança ou adolescentes estão envolvidos (familiares ou pessoais);

  • Doenças graves na família, doenças grave na criança ou adolescente;

  • Dificuldade de relacionamento familiar, cobrança e expectativas de comportamento a serem apresentados pela pessoa, gravidez, aborto, etc.

Para que se diagnostique este transtorno, é importante que se faça uma avaliação médica diferencial para descartar ocorrências de:

  • Infecções por vírus (Influenza, endocardite, pneumonia, AIDS, sífilis, hepatite, tuberculose, encefalite, Etc);

  • Alterações neurológicas (epilepsia, convulsão, Traumatismo cranioencefálico, hemorragia subaracnóidea, AVC, esclerose Múltipla, etc);

  • Alterações Endócrinas (Diabetes, Doença de Addinson e Doença de Cushing, Hipertireoidismo ou Hipotireoidismo, etc);

  • Efeito de medicamentos (Benzodiazepínicos, Barbitúricos, Cimetidina, Aminofilina, Anticonvulsivante, corticosteroides, Digitálicos, Diuréticos, Clonidina, Anti – hipertensivos) e outras substâncias como álcool e drogas;

  • Outros problemas como distúrbios hidroeletrolíticos, anemia, lúpus e uremia.

Se você se identificou neste artigo, procure ajuda profissional o mais rápido possível, pois um bom psicólogo irá ajudá-lo aliviar o sofrimento causado pelos sintomas em curto prazo.


Se você conhece pessoas que apresentam sintomas de depressão tente ajudá-lo, mostrando simpatia e empatia (tentar entender o que ele sente), ajude a encontrar um bom profissional para amenizar e sair deste transtorno.

A Depressão tem tratamento com ótimos e breves resultados.


Para informações sobre o atendimento e marcação de consultas envie um e-mail para psicologa@celmamaciel.com


Ou ligue Celular : (11) 9731 - 09109


Texto adaptado do livro: Terapias Cognitivo-Comportamentais para Crianças e Adolescentes: Ciência e Arte/Circe Salcides Petersen.. et al. – Porto Alegre: Artmed, 2011.

0 visualização
© 2019 · Celma Maciel. Todos os direitos reservados. Termos de uso e Privacidade.